18 setembro 2012

O Infante Portugal vol.3: Capa de Capítulo VIII | Chapter Cover VIII



Salvador da Pátria
Esta ‘ilo marca o encontro do desalentado paladino Condestável Lusitano com o Salvador da Pátria, junto ao Monumento aos Descobrimentos, onde nos anos 40 ele havia consagrado o Condestável, aliás Pereira Dias, às suas aventuras como vingador português. É de salientar que a figura do Condestável foi criada pelo mestre José Ruy na 1ª Jornada e em nada foi alterado até agora, envergando até os seus signos mágicos, a Bussola e Ampulheta.
This ‘illo marks the gathering of the disheartened paladin Constable Lusitano with the Savior of the Fatherland, in the vicinity of the Monument to the Discoveries, where in the early 40’s he had deemed the Constable, aka Pereira Dias, to a lifetime of adventures as a Portuguese avenger. I must stress that Constable was created by master José Ruy in the 1st Journey and has remained unaltered, holding onto his magical signs, the Compass and Clepsydra.

Esta foi, salvo erro, a última imagem que fiz antes de encerrar o livro, e talvez por isso está mais solta – para mim, ao menos – do que as anteriores. A nível de referências, tentei basear o Condestável do actor Ian McKellen (Galdalf, Magneto) e o próprio Salvador em Sean Connery (James Bond), aqui muito informado pelo filme de culto Zardoz. Quis fazer alguns ornamentos na armadura, mas não houve tempo suficiente…
This one was, I believe, the final image I did before wrapping up the book, and perhaps due to that it’s looser – to me, at least – than the others. As for references, I tried to base Constable in actor Ian McKellen (Gandalf, Magneto) and Savior himself in Sean Conney (James Bond), here much informed by the cult movie Zardoz. I also wanted to do add some ornaments in his armor, but hadn’t enough time left…

4 comentários:

  1. Eu reconheci-os logo! O Sean está especialmente bem conseguido.
    Óptima ilustração.

    ResponderEliminar
  2. Obrg. Ambos estão na minha memória de puto, mas não dos filmes óbvios; o McKellen, lembro-me primeiro dele no "The Keep", de 1983 (onde fazia já de judeu idoso, vítima de Auschwitz), e o Connery do "Zardoz", de 1974.
    Mas é preciso frisar que o Condestável foi originalmente inspirado no próprio José Ruy, e é essa a sua imagem. Eu é que me acobardei a retratá-lo e portanto agarrei-me a uma refª visual parecida q.b. ;)

    DM

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, pois é. Adicionaste-lhe uma cabeleira bem particular :)

      Eliminar
    2. Qual 'tuga, a única "cabeleira" que importa no Connery é o bigode... ;P

      Eliminar

comentários!?