10 junho 2014

Suspended City | Cidade Suspensa


If it’s frequent for me to spotlight colleagues’ projects, then it makes even more sense to do so to family: presented at the X Beja International Comics Festival (FIBDB), the OGN Suspended City, by publisher Polvo, marks the debut of artist Penim Loureiro in that format, although the author had previously publisher several works in magazines and fanzines in the early 80’s.
Held as one of the chief works of 2014, Suspended City addresses a doomed reunion of childhood friends, after years apart, with backgrouds that span the Saara desert, Lisbon and New York, and a plot that grows darker then we’d first expect. Paralel to the book’s release, some of its original pages are exhibited at Beja's Conservatório Regional do Baixo Alentejo.

Se é frequente fazer destaques a projectos de colegas, mais sentido faz mencionar um familiar: apresentado no X FIBD’Beja, Cidade Suspensa, da Polvo, marca a estreia editorial de Penim Loureiro em álbum, apesar deste não ser estranho ao sector, nomeadamente por trabalhos realizados na primeira metade dos anos ’80, em revistas como Sete, Tintim, Jornal da BD, Boletim do CPBD e Un Fanzine Llamado Caramello.
Salientada como uma das obras obrigatórias para 2014, Cidade Suspensa trata do reencontro fatídico de amigos de infância, após anos de separação, com cenários que vão do Saara até Lisboa e Nova Iorque, e uma intriga que adquire laivos mais negros do que os esperados. Tecida como uma autobiografia ficcionada, a obra integra facetas pessoais ao autor, como seja a arqueologia, arquitectura e Lisboa como elemento gráfico fundamental.

O álbum, que terá também edição traduzida para inglês – uma aposta da Polvo, que visa comercializar a novela gráfica em mercados internacionais – motivou uma exposição no Conservatório Regional do Baixo Alentejo, em Beja, com originais do livro e outros, publicados nas revistas e fanzines supramencionados.



Although I followed the graphic novel’s development in the social networks, I’ve only recently found more about the kinship between myself and Penim, mainly due to not associating him to an aunt’s (the same where I did the drawings shared last month…) description of “a cousin from Lisbon, who was also very good at drawing comics.” In short, the gaudy nicknames or pet names kept inside the family may become troublesome when we’re trying to reach a person, through his full name…;) Nevertheless, congratulations to cousin Penim and wishes of editorial success selling the book!

Apesar de acompanhar o desenvolvimento e lançamento da obra nas redes sociais, só recentemente descobri o parentesco entre mim e Penim, maioritariamente por não o associar à descrição por uma tia-avó (na casa de quem fazia os desenhos partilhados em Maio…), que desde que era miúdo me falava “do primo de Lisboa que tinha igualmente muito jeito para a BD." Diga-se de passagem que os nomes “de estimação” e alcunhas que-não-lembram-ao-diabo, mantidas na família, tornam-se empecilhos para chegar à pessoa, pelo nome próprio… ;) Não obstante, parabéns ao primo Penim e votos de sucesso ao álbum - que espero seja o primeiro de muitos!

Sem comentários:

Enviar um comentário

comentários!?