23 junho 2019

Blast from the Past: Batman 1989

It's mind-boggling to think that it's been thirty years since the release of Warner Bros' 1989 adaptation of Batman, the first movie to bring the Dark Knight to the big screen, directed by then-newcomer Tim Burton, with an iconic instrumental score by Danny Elfman and a kick-ass soundtrack by Prince, and featuring Michael Keaton (Batman/Bruce Wayne), Jack Nicholson (Joker) and Kim Basinger (Vicky Vale).
Being around ten years old, I was at the right age to get caught up the all the “Batmania” craze – and, believe me, it was a gigantic cultural phenomenon back then! – and, although I don't exactly recall seeing the film at the theater, I remember the excitement of the trailer repeatedly showing on the tv. Aside from getting the (costly) amazing graphic novel adaptation by Dennis O'Neal and Jerry Ordway, and completing (for the 1st time ever) the stickers' album, I also drew the Bat constantly; and I still have a few of those older drawings, because it was around when I began using books instead of loose blank sheets...



É atordoante pensar que já se passaram trinta anos desde a estreia da adaptação cinematográfica de Batman em 1989, pela Warner Bros, o primeiro filme a levar o Cavaleiro das Trevas à grande tela, realizado pelo então-novato Tim Burton, com uma icónica banda sonora instrumental de Danny Elfman e excelente música do Prince, figurando Michael Keaton (Batman/Bruce Wayne), Jack Nicholson (Joker) e Kim Basinger (Vicky Vale).
Então com dez anos, estava na idade certa para ser apanhado pela loucura da “Batmania” – e, acreditem, o impacto cultural na altura foi um fenómeno gigantesco! – e, embora não me recorde exactamente de ver o filme no cinema, lembro-me bem da excitação do trailer passar repetidamente na tv. Fora ter comprado a (custosa) formidável adaptação para novela gráfica por Dennis O'Neal e Jerry Ordway, e ter completado (pela primeira vez) a caderneta de cromos, também desenhei o Morcego constantemente. Ainda tenho alguns desses desenhos antigos porque foi pela altura em que comecei a usar cadernos em vez de rabiscar em folhas soltas...


22 junho 2019

Tágide – Comics Group / Colectivo de BD

I was always keen on promoting comics in my hometown, which is located on the south bank of Tagus river, facing Lisbon. I started out drawing a supplement for my school newspaper (1993), followed by organizing the comics salon ExpoBD'96, and later helped promote a short-lived Montijo's Comics Library, by offering publications and exhibiting my works there (2004), plus I also acted as jury on a comics contest the municipality created (2007).

Aside from more recent initiatives, earlier this year I have co-funded the comics collectivity Tágide – named after the mythical mermaid-like creatures that are said to inhabit the Tagus river –, which came about after the sequential art courses that Susana Resende and I conducted in Montijo (from May to July '2018), given the desire from all involved to continue to meet and share criative challenges. With a group of nearly thirty members, we have begun meeting every months' 2nd and 4th friday and even created a new comics anthological fanzine, titled Outras Bandas, which was presented at the XV Beja Internacional Comics Festival.

Checkout the group's oficial blog for further news regarding out exhibits and releases, or photos from the gatherings. And, if you're in the neighborhood, drop by anytime!



Desde sempre que promovi a BD na minha cidade-natal, o Montijo, banhada pelo Tejo e a um pulo de distância de Lisboa. Comecei por desenhar para um suplemento no jornal escolar do liceu (1993), seguido pela organização do salão de banda desenhada ExpoBD'96, e mais tarde ajudando a promover a descontinuada Bedeteca do Montijo, oferecendo edições e ali expondo os meus trabalhos (2004), assim como foi júri de um concurso de BD criado pelo município (2007).
Fora iniciativas mais recentes, no início deste ano co-fundei o colectivo de banda desenhada Tágide – assim baptizado em função das criaturas marítimas que as lendas dizem viver no rio Tejo –, que surgir no seguimento das formações de arte sequencial que realizei com a Susana Resende (de Maio a Julho de 2018), dado o desejo de todos em nos continuarmos a encontrar e a partilhar desafios criativos. Com cerca de trinta membros no grupo, começámos a nos encontrarmos nas 2ªs e 4ªs sextas-feiras de cada mês na sala polivalente da Quinta do Pátio d'Água, e também criámos o novo fanzine antológico Outras Bandas, que foi apresentado no XV Festival Internacional de BD de Beja.
Vejam no blog oficial do colectivo as próximas notícias relativas a exposições e publicações, ou fotos dos nosso encontros. E se estiverem na vizinhança, apareçam quando quiserem!

19 junho 2019

Aurora Boreal – Illustrations / Ilustrações

Wrappin-up the previous posts annotations of my participation in Aurora Boreal's 1st cycle, by José de Matos-Cruz, here are the six illustrations that I created for The Infinite Begining (2017-2018).
I've shared snipets online before, but never all artworks together in full display. The wait was long, so, while the plot treads and visual leitmotifs were being coaleced into a single story, I showed glimpses here and there throughout the years. But it wasn't until 2017's Beja International Comics Festival that the drawings were first properly seen; complementing an exhibit Susana Resende and I showed there, regarding our works with Infante Portugal & Aurora Boreal, publisher Apenas Livros also released an introduction to the character, and later that year the series began its publication in four booklets that wrapped up in 2018.

Concluindo as anteriores anotações sobre a minha participação no ciclo inicial d'Aurora Boreal, por José de Matos-Cruz, eis as seis ilustrações que criei para O Princípio Infinito (2017-2018).
Partilhei detalhes online anteriormente, mas nunca todos os trabalhos na integra. A espera foi longa, por isso, enquanto as linhas narrativas e inspirações visuais foram sendo tecidas numa história unificada, ao longo dos anos deixei escapar vislumbres aos trabalhos aqui e ali. Contudo, foi só no Festival Internacional BD de Beja '2017 que os desenhos foram vistos devidamente; complementando uma exposição da Susana Resende e minha ali, relativa às nossas ilustrações d'O Infante Portugal e Aurora Boreal, a editora Apenas Livros lançou uma introdução à heroína e, mais tarde nesse ano, o ciclo inaugural da série começou a ser editada em quatro livros-de-cordel que concluíram em 2018.


(Right click to view as larger image / Clicar no botão direito para ver maior)

(Right click to view as larger image / Clicar no botão direito para ver maior)

(Right click to view as larger image / Clicar no botão direito para ver maior)

(Right click to view as larger image / Clicar no botão direito para ver maior)

(Right click to view as larger image / Clicar no botão direito para ver maior)

Despite the challenge presented by this project, it was fulfilling to contribute to this series, after having arrived in the middle of Infante Portugal's trilogy and co-published the adaptation of this creative universe for comics, for which we won a reader's choice award. Will there be another spin-off series in the future? We'll see…
Apesar do desafio apresentado por este projecto, foi preenchedor ter contribuido para mais esta série, depois de ter chegado a meio da trilogia O Infante Portugal e co-editado a adaptação deste universo criativo para BD, pela qual vencemos um prémio do público leitor. Haverá uma segunda sequela no futuro? Veremos...
 

14 junho 2019

Aurora Boreal - Sketches / Esboços

The following sketches, as mentioned in the previous post, aim to share all of my graphic contributions to José de Matos-Cruz's Aurora Boreal and The Infinite Beginning and also to illustrate my creative process.
I began the challenge in eraly 2012, a short time after I finished The Mutant Shadows, starting off with various preliminary images; at the time, Aurora's original suit hadn't been created yet. Being a storytelling driven artist, without much towards graphic tropes, I decided to draw Aurora in a story of my own creation but delivering the images scrambled, so that they'd better serve as inspiration, dissociated of any specific context.

Os esboços seguintes, como referi na publicação anterior, visam expor na integra os meus contributos gráficos para a série Aurora Boreal e O Princípio Infinito, de José de Matos-Cruz, e também para ilustrar o meu processo criativo.
Comecei o desafio em 2012, pouco tempo depois de terminar As Sombras Mutantes, começando com várias imagens preliminares; naquela altura, o fato original da Aurora ainda não tinha sido criado. Sendo mais movido por narrativas, sem ter grandes trejeitos artísticos, decidi desenhar Aurora numa história da minha criação mas entregando as imagens desordenadas, para melhor servirem como inspirações desassociadas de qualquer contexto específico.

The story was I came up with was: The Infante Portugal crossed into a pocket dimension outside space-time, where his deceased predecessor heroes now reside and, while there, he feels a glitch in the ether, sensing an incoming danger (image 1).
A história que inventei foi: O Infante Portugal atravessou para uma dimensão isolada fora do espaço-tempo, onde os seus falecidos antecessores heróicos agora residem e, enquanto lá, sentiu uma falha no éter, antevendo um perigo vindouro
(imagem 1).
 
Upon returning home, Infante faces a doomed reality: the planet destroyed by an asteroid (
image 2)!

Ao regressar a casa, o Infante enfrenta uma realidade condenada: o planeta fora destruído por um asteróide (
imagem 2)!

Stuck in limbo and powerless to prevent that fate, he reaches out to the dimension-hopping Aurora's conscience, with help from The Constable Lusitanian (image 3), giving up his power so that she can stop the threat before a catastrophe occurs.
Preso no limbo e incapaz de prevenir tal destino, com a ajuda do Condestável Lusitano contacta a consciência da viajante de dimensões Aurora (
imagem 3), cedendo-lhe os seus poderes para esta conseguir lidar com a ameaça antes da catástrofe ocorrer.

Hence, Aurora
then matures into a super-hero (image 4) and pulverizes the asteroid, saving the Earth (image 5).
Assim, Aurora amadurece, tornando-se numa super-heroína (
imagem 4) e pulveriza o asteróide, salvando a Terra (imagem 5). 




Now, void of essence but assured the world is in good hands, Infante Portugal and Constable Lusitanian join the other magical beings in sailing throughout the netherworld, under the watchful eye of Aurora Boreal (image 6).
Então, vazio de essência mas confiante do mundo estar em boas mãos, O Infante Portugal e o Condestável Lusitano juntam-se aos demais seres mágicos seus amigos, navegando pelo cosmos sob o olhar omnisciente da Aurora Boreal (imagem 6).

 
These plot treads weren't followed in the series, just like the prophesied asteroid didn't hit us in 2012. Now you know why...

Estes tópicos narrativos não foram seguidos na série, assim como nós não fomos atingidos por um asteróide em 2012. Agora ficam a saber porquê...

12 junho 2019

Aurora Boreal – Short Comic / BD Curta

Aurora Boreal, by writer and portuguese comics personality José de Matos-Cruz, is a follow-up to The Infante Portugal trilogy (2004/2010/2012). This new female character appeared in Lisbon's mystical underworld after having been a focus point of the last book, The Mutant Shadows, that I illustrated with Susana Resende – who was later challenged to create Aurora's look, first viewing her as an enigmatic child and afterwards creating a special suit to go with the character's rise to hero status.
Aurora Boreal and The Infinite Beginning (2017-2018) was the first arc of the series, for which four artists were invited to contribute with chapter illustrations, but here under a different motivation: we were to create a set of six illustrations from our own imagination and visual preferences, that would then be pieced together as inspiration for the story's writing.
Given that a new cycle (The Eternal Paradox) has began, I will share all artwork that I've created for the project over the following posts, from initial sketches to final illustrations. For today, I'm starting with the two-page short comic “Aurora Boreal and The First Dance“ that I did as an extra, meant to bridge the gap between the trilogy's last book and the new spin-off series.


(Right click to view as larger image / Clicar no botão direito para ver maior)

Aurora Boreal, pelo escritor e personalidade da banda desenhada José de Matos-Cruz, dá seguimento à trilogia O Infante Portugal (2004/2010/2012). Esta nova personagem feminina surge no submundo mágico lisboeta após ter sido um foco do livro final, As Sombras Mutantes, que ilustrei com a Susana Resende – que foi mais tarde desafiada a criar o visual da Aurora, primeiro vendo-a como uma criança enigmática e a seguir criando um fato aquando à sua ascensão ao estatuto de heroína.
Aurora Boreal e O Princípio Infinito (2017-2018) foi o ciclo inicial da série, no qual os artistas foram convidados a contribuir com ilustrações de capítulo, mas aqui sob uma motivação diferente: foi-nos pedido criarmos um conjunto de seis ilustrações ao sabor da nossa imaginação e conforme preferências visuais, que depois seriam usadas como inspiração para a escrita da história.
Dado que o novo ciclo (O Eterno Paradoxo) foi agora iniciado, irei partilhar nas próximas publicações os trabalhos que realizei para o projecto, dos esboços iniciais às ilustrações finais. Para hoje, começo com a BD curta de duas páginas “Aurora Boreal e A Primeira Dança” que fiz como um extra, para fazer a ponte entre o último volume da trilogia e a nova série subsequente.

09 junho 2019

Tertúlia BD de Lisboa - Homenagem / Homage

A Tertúlia BD de Lisboa #421, este mês, foi uma ocasião especial: marcou o 34º aniversário da iniciativa, que há mais de três décadas providencia ininterruptamente um encontro mensal para os amantes da banda desenhada em Portugal, no processo também celebrando as personalidades da comunidade doutrora e destacando os valores promissores das novas gerações de autores. O encontro serviu ainda para homenagear o seu criador, o “militante da BD e dos fanzines” Geraldes Lino (1936-2019), que nos deixou há quatro meses.


A Homenagem a Geraldes Lino foi realizada no Museu Bordalo Pinheiro, que acolheu uma exposição colectiva de desenhos e fotografias, e apresentou o fanzine Tertúlia BDzine: Especial – A História da Tertúlia BD de Lisboa (1985-2019), assinado por Jorge Machado-Dias, com a colaboração de Álvaro Santos e Leonardo de Sá.
Pela minha parte, tive o prazer de integrar a exposição com o meu mais recente desenho do Lino e alguns outros, mais antigos.


The Tertúlia BD de Lisboa/Lisbon's Comics Gathering #421, of the present month, was a special occasion: it marked the 34th anniversary of the initiative, which for more than three decades has been providing an uninterrupted monthly meeting for comics fans in Portugal, in the process celebrating the chief personalities of the community and highlighting the most promissing talents from the newer generations of authors. This meeting served also to honor its creator, the "militant of comics and fanzines" Geraldes Lino (1936-2019), who left us four months ago.
The Tribute to Geraldes Lino was held at Bordalo Pinheiro Museum, which hosted a collective exhibition of drawings and photographs, and presented the fanzine Tertúlia BDzine: Special - The History of Tertúlia BD de Lisboa (1985-2019), penned by Jorge Machado-Dias, with the collaboration of Álvaro Santos and Leonardo de Sá.
For my part, I had the pleasure of integrating the exhibit with my latest drawing of Lino and with a few other older artworks.

Fotos por/Photos by TBDL

06 junho 2019

XV FIBDB – Photos / Fotos

Last Sunday, June 2nd, I accompanied some of the members of Montijo's comics collective, Tágide, to the 15th FIBDB/Beja International Comics Festival, where we presented the group and its initiatives to the community, and also released the fanzine Outras Bandas #0, which I had the pleasure of publishing and which brings together works by António Coelho, Maria João Claré, Mário André, Patrícia Costa, Shania Santos and Susana Resende.
In addition to socializing with colleagues from the sector and visiting the excellent exhibits at the city's House of Culture, another tradition of the trip to Beja is the improvisation of a cadavre exquis made during lunch... This year I didn't miss out on any of these customs.
A big thank you, as always, to Paulo Monteiro for inviting and integrating our project into the programming, and to all who attended the presentation.



No passado domingo, 2 de Junho, acompanhei alguns dos elementos do colectivo de banda desenhada do Montijo, Tágide, ao 15º Festival Internacional BD de Beja, onde fizemos a apresentação do grupo e suas iniciativas à comunidade, e também lançámos o fanzine Outras Bandas #0, que tive o prazer de editar e que reúne obras de António Coelho, Maria João Claré, Mário André, Patrícia Costa, Shania Santos e Susana Resende.
Para além do convívio com colegas do sector e da visita às excelentes mostras patentes na Casa da Cultura da cidade, outra tradição da viagem a Beja é a improvisação de um cadavre exquis feito durante o almoço... Este ano não me escaparam nenhum destes costumes.
Obrigado, como sempre, ao Paulo Monteiro pelo convite e integração do nosso projecto na programação, e a todos quanto estiveram na apresentação.